FLASH DO MUNDO PARA VOCÊ

sábado, 26 de março de 2016

Mariah Carey cancela show em Bruxelas por motivos de segurança.

A cantora americana Mariah Carey cancelou o show que faria em Bruxelas no domingo por motivos de segurança, após os atentados ocorridos na capital da Bélgica na última terça-feira (22), anunciou neste sábado (26) a artista pelo Twitter.
"Me aconselharam a cancelar meu show pela segurança do público, do meu grupo, das equipes técnicas e de todos os que participam da turnê europeia", escreveu a cantora na mensagem.
Os ataques da última terça-feira contra o aeroporto e uma estação de metrô de Bruxelas deixaram 31 mortos e mais de 300 feridos.
Assim como Mariah Carey, bandas como o U2 e o Foo Fighters cancelaram suas apresentações em Paris após os atentados de novembro do ano passado na capital francesa, que provocaram 130 mortes, 90 delas na casa de shows Bataclan, durante um show da banda americana de rock Eagles of Death Metal.

Crise brasileira vira dor de cabeça para os vizinhos.

A crise política e econômica brasileira está se tornando uma dor de cabeça também para países da América do Sul.
Nos últimos dias, representantes dos governos da Argentina, Bolívia, Uruguai e Venezuela expressaram preocupação com o desenrolar do imbróglio brasileiro e seus possíveis efeitos regionais.
"Se o Brasil espirra, a Argentina pega tuberculose", resumiu a ministra de Relações Exteriores da Argentina, Susana Malcorra.
Na segunda-feira, Malcorra - que faz parte do governo de centro-direita de Maurício Macri - pediu uma reunião entre chanceleres do Mercosul para "demonstrar preocupação e apoio" ao país.
À imprensa local, Macri tem dito que, como o Brasil é o principal parceiro da Argentina, claramente a crise política brasileira afeta o país.
Segundo Macri, setores que vendem para o Brasil estão em recessão em função do mau desempenho da economia brasileira.
Raúl Ochoa, professor de teoria de comércio internacional da Universidade Tres de Febrero, explica que a expectativa era que a Argentina voltasse a crescer no segundo semestre, mas a crise política e econômica brasileira pode adiar essa retomada.
"A Argentina deve resolver seus problemas internos, como a inflação, mas o Brasil em crise compra menos da Argentina e, com o real desvalorizado, também fica mais competitivo para exportar para nosso mercado", diz Ochoa.
"Se o Brasil compra menos afeta diretamente a economia argentina, independentemente da queda no comércio internacional em geral", agrega o economista argentino Marcelo Elizondo, da consultoria DNI.

Integração ameaçada

Antes da Argentina manifestar sua preocupação com o Brasil, o presidente da Bolívia, Evo disse, em La Paz, que a reunião seria para "evitar qualquer golpe do Legislativo ou do Judiciário" brasileiros.
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, também propôs "uma mobilização latino-americana para apoiar Dilma e Lula".
Comentários em tom de preocupação foram feitos ainda pelo secretário-geral da Unasul, o ex-presidente colombiano Ernesto Samper, e o ministro das Relações Exteriores do Uruguai, Rodolfo Nin Novoa.
Para o cientista político boliviano Fernando Mayorga, da Universidade Mayor de San Simón, de Cochabamba, a crise brasileira pode ter um impacto importante nas iniciativas de integração regional, embora ele considere improvável que haja qualquer problema com o abastecimento de gás boliviano ao mercado brasileiro.
Já Ricardo Israel, da Universidade Autônoma do Chile, em Santiago, descarta que a crise brasileira tenha um "efeito dominó" na região.
Israel diz que o Brasil sempre exerceu uma liderança regional "branda", que "permitiu o avanço do chavismo na região", e, até por isso, a crise política brasileira pode não ter um impacto significativo nos países vizinhos na sua opinião.

PM atira bomba em arquibancada em estádio no AM e fere criança de 4 anos.

Na última quinta-feira (24), em partida pelas quartas de final da Copa Verde, no Estádio da Colina, em que o Nacional (AM) empatou em 1 a 1 com o Remo, o filho do zagueiro Edson Rocha, do time amazonense, foi ferida por uma bomba atirada na arquibancada pela Polícia Militar.
A criança, de quatro anos, teve a mão queimada e inalou parte da fumaça e do gás de pimenta utilizado pelos policiais, saiu do estádio nos braços do pai e passa bem.
A confusão começou quando um torcedor do Nacional invadiu o gramado nos minutos finais da partida. Ele foi contido pelas forças policiais. Os torcedores que estavam nas arquibancadas, então, passaram a reclamar do "excesso de energia" utilizado pelos homens de farda para prender e algemar o invasor.
Para conter os ânimos das poucas dezenas de pessoas que gritavam das arquibancadas, os policiais passaram a borrifar gás de pimenta do gramado para as cadeiras.
Um dos soldados achou por bem ampliar o "uso gradual da força", atirando uma bomba sem nem ver para onde, apenas jogou no meio dos torcedores e desceu para o vestiário.

segunda-feira, 21 de março de 2016

Bilionária suíça dá à luz gêmeas aos 53 anos de idade.


"Margarita Louis-Dreyfus deu à luz gêmeas. A mãe e os bebês estão bem", afirmou a porta-voz em uma mensagem enviada à AFP, confirmando as informações da imprensa.
O nascimento das meninas estava previsto para o início de abril. O pai é o banqueiro suíço Philipp Hildebrand, de 52 anos.
Margarita Louis-Dreyfus já tinha três filhos, dois deles gêmeos, nascidos de sua união com Robert Louis-Dreyfus, falecido em 2009.
Após a morte do marido, ela herdou o grupo Louis-Dreyfus Commodities. Também é proprietária do clube de futebol francês Olympique de Marselha.

Polícia canadense alerta para volta da viúva negra da internet.

Alex Strategos estava sozinho e procurava uma namorada quando conheceu Melissa Ann Shepard em um site de relacionamentos online.
"Primeiro achei ela muito simpática", disse Strategos, hoje com 84 anos, à BBC, de sua casa na Flórida. Shepard veio de carro do Canadá e rapidamente passou a morar com Strategos, que a descrevia como uma "mulher de muita classe".
Mas rapidamente ele descobriu que ela tinha menos classe do que parecia. "Fui para o hospital", diz. "Ela me mandou para lá."
A relação dos dois foi uma das muitas que acabou levando Shepard, hoje com 80 anos, para a prisão.
Esta semana ela foi liberada após cumprir pena por outro crime do tipo. Foram dois anos, nove meses e 10 dias na prisão por adulterar o café de um novo parceiro, Fred Weeks, seu vizinho em um calmo asilo na Nova Escócia, no Canadá. De acordo com a investigação, ela bateu em sua porta e disse que estava sozinha - e ouviu que ele estava sozinho também.
Os dois fizeram uma cerimônia de união civil no quarto dele e saíram de lua de mel para Newfoundland. Segundo a acusação, Shepard deu a Weeks altas doses de sedativo durante a viagem, deixando-o impossibilitado de reconhecer a marcha normal e a marcha ré do carro e a dar partida no veículo quando eles estava saindo de um ferry.
No dia seguinte ele precisava de uma cadeira de rodas, não conseguia colocar seus sapatos sozinho e não sabia onde estavam as chaves do carro, segundo a denúncia. Mas apenas quando ele foi hospitalizado por cair da cama as drogas foram encontradas em seu organismo e a polícia percebeu que havia algo errado.
Atriz
Inicialmente, Shepard foi indiciada sob acusação de tentativa de homicídio. Mas ela foi condenada por um crime mais brando, "administração de substância nociva".
Em entrevista à agência de notícias The Canadian Press na semana passada, Weeks disse que não queria que Shepard se aproximasse dele. "Ela é uma atriz muito sutil", diz. "Ela me deixou no escuro por muito tempo, contando várias histórias... tudo que ela me contou era mentira", diz.
Strategos acredita que ela também o drogou, adulterando seu sorvete. Ele diz que ela roubou cerca de US$ 20 mil nas poucas semanas em que ficaram juntos. Ela cumpriu cinco anos de prisão na Flórida após se declarar culpada em 2005 por sete acusações, incluindo um delito equivalente à falsidade ideológica e roubo a pessoa com mais de 65 anos.
Strategos diz que sabia muito pouco sobre Shepard quando eles se conheceram e que não tinha conhecimento dos crimes que ela cometera antes, inclusive sua condenação, em 1992, por assassinato de seu segundo marido, Gordon Stewart.
A jornalista Barb McKenna se encontrou Shepard pouco depois de ela sair da prisão por este crime, em 1994. Shepard havia cumprido dois dos seis anos da pena por homicídio culposo por drogar Stewart e atropelá-lo duas vezes com o carro. Shepard alegava que Stewart estava tentando estuprá-la quando isto Melissa Ann Shepard: uma história de violência
aconteceu
1977-1991: Cumpre pena por mais de 30 condenações diferentes por fraude
1992: Condenada por homicídio culposo pela morte de seu segundo marido, Gordon Stewart, que ela drogou e atropelou duas vezes - ela foi condenada a 6 anos de prisão mas obteve liberdade condicional em 1994
1994: Aparece no documentário When Women Kill (Quando mulheres matam), sobre vítimas de violência doméstica que atavam seus parceiros
2002: Seu terceiro marido, Robert Friedrich, morre um ano após os dois se conhecerem em um site de relacionamento online. Não houve acusações contra ela
2005: Condenada a cinco anos de prisão na Flórida após se declarar culpada em sete acusações, incluindo falsidade ideológica e roubo de Alex Strategos, que ela havia conhecido online. Strategos, atualmente com 84 anos, diz que ela roubou US$ 20 mil e colocou drogas em seu sorvete
2013: Presa por dois anos, nove meses e dez dias no Canadá por adulterar café de parceiro com sedativos.
McKenna se encontrou com Shepard quando a ex-presidiária estava dando palestras no Canadá sobre a síndrome da mulher espancada, uma linha de defesa que pode ser usada por mulheres que atacaram seus parceiros. Ela também apareceu no documentário de 1994 When Women Kill e ganhou um bolsa do governo para ajudar outras mulheres na mesma situação que ela.
Mas, ao investigar o passado de Shepard, McKenna descobriu que ela tinha 30 condenações separadas por fraude entre 1977 e 1991.
"Ela é muito esperta. Se você a confronta ela vem com uma resposta imediata, mesmo sendo uma mentira óbvia."
'Horrorizada'
Em 2001, Shepard se casou com seu terceiro marido, Robert Friedrich, dias após conhecê-lo por meio de um site de namoro cristão. Friedrich morreu 14 meses depois, aos 84 anos, deixando milhares de dólares em bens para sua nova mulher. Seus filhos fizeram uma queixa criminal alegando que ela o havia matado dando a ele uma overdose dos remédios que ele tomava normalmente, de acordo com registros. Ele ganharam US$ 15 mil mas ela nunca foi acusada de nenhum crime.
Quando McKenna soube do caso Fred Weeks em 2013 ela diz que ficou "horrorizada" com a sentença, que considerou pequena.
"A primeira coisa que pensei foi: o que está errado com o sistema?", diz. "Acho que as pessoas não esperam que senhoras sejam assassinadas a sangue frio. Ela se apresenta como uma figura triste e trágica - quase alguém que dá pena".
Shepard negou os pedidos de entrevista da BBC.
Promotores colocaram condições rígidas para sua soltura na semana passada, insistindo que ela avisasse sobre qualquer relacionamento com um homem para que a polícia pudesse informá-lo de "seu histórico nesses e outros procedimentos legais". Eles também impediram Shepard de entrar na internet e até de ter qualquer aparelho que dê acesso à rede. Ela também deve deixar a polícia fotografá-la se mudar sua aparência.
A polícia de Halifax divulgou um comunicado para a imprensa avisando aos cidadãos que "uma criminosa perigosa está morando em nossa comunidade" e alertando que "é elevada a possibilidade dela cometer um crime novamente".
Alex Strategos concorda coma avaliação.
"Não acho que ela deveria ter sido solta". disse ele.
"Não sei o que esse juiz tem na cabeça. Ela é uma viúva negra. É melhor os homens tomarem cuidado."

Um morre e três ficam feridos em lanchonete no Oeste potiguar.

Um jovem de 24 anos foi morto e outras três pessoas ficaram feridas na noite deste domingo (20) em Mossoró, na região Oeste do Rio Grande do Norte. De acordo com a Polícia Militar, o crime teria sido motivado por uma briga entre torcidas organizadas. Ninguém foi preso.

Segundo a PM, o crime aconteceu no bairro de Boa Vista. As vítimas estavam em uma lanchonete quando criminosos em um carro se aproximaram e atiraram. Júlio César Bessa Magalhães morreu a caminho do hospital. Outros dois homens e uma mulher foram atingidos. Eles foram socorridos ao Hospital Regional Tarcísio Maia.
A PM suspeita que a motivação do crime seja uma rixa entre as torcidas organizadas do Potiguar e Baraúnas, que se enfrentaram neste domingo no estádio Nogueirão pelo Campeonato Potiguar. A Polícia Civil vai investigar o caso.

Temendo nova investida de Moro, AGU pede ao STF liminar para nomeação de Lula.

Brasília - Com receio de uma nova investida do juiz federal Sérgio Moro contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, pediu novamente na tarde deste domingo, 20, ao ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), que conceda uma liminar para garantir a nomeação do líder petista para cargo de ministro-chefe da Casa Civil.
O pedido, semelhante ao apresentado por Cardozo ontem, tem por objetivo suspender o andamento de todos os processos e de decisões judiciais até um pronunciamento final da Corte. Uma das preocupações do governo é que, sem a liminar, Lula poderá ser alvo de uma ação do juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância.
Na sexta-feira, 18, à noite, o ministro do STF, Gilmar Mendes, concedeu uma liminar a mandados de segurança apresentado por dois partidos de oposição, PSDB e PPS, que alegavam que Lula havia tomado posse para ganhar foro privilegiado e ser julgado pelo Supremo.
No pedido deste domingo, a AGU pede urgência numa decisão de Zavascki, relator de duas arguições de preceito de descumprimento fundamental (ADPF) movidas pelo PSDB e PSB. Ele aponta que as ADPFs são as ações que vão permitir a "solução geral da controvérsia".
Ele citou até um precedente do próprio Gilmar Mendes do início de março em que considerava esse tipo de ação, dada sua "amplitude constitucional", como possível para dirimir as dúvidas. "Ante o exposto, a fim de se evitar decisões contraditórias acerca tema tão relevante, primando-se pela segurança jurídica e defesa da ordem jurídico objetiva, a Advocacia-Geral da União pugna pela excepcional concessão de medida cautelar, suspendendo-se o andamento de todos os processos e de decisões judiciais que apresentem relação com a matéria objeto da arguição de descumprimento de preceito fundamental, até seu julgamento final pelo douto colegiado", argumenta Cardozo, na petição de seis páginas.
O pedido é para que Teori Zavascki possa se manifestar independentemente de uma posição do plenário do Supremo. A Corte só vai se reunir em plenário no dia 30 e o receio é que o ex-presidente, em meio à batalha do impeachment, possa ser alvo de Moro.
Cardozo argumenta ainda que há um risco de "acefalia" da Casa Civil, a quem compete por lei assistir direta e imediatamente ao presidente e coordenar as ações do governo, em um momento de "notória instabilidade política e turbulência institucional".

domingo, 20 de março de 2016

Homem é preso ao tentar jogar arma e celulares dentro de presídio no RN.

Um homem foi preso em flagrante na noite do sábado (19) no momento em que tentava jogar sacolas com arma e aparelhos de telefone celular para dentro da penitenciária de Alcaçuz, em Nísia Floresta, cidade da Grande Natal. A guarda da unidade prisional abordou o homem quando ele se aproximou dos muros. O suspeito foi levado para a delegacia de plantão da Zona Sul de Natal, onde foi autuado.
O preso estava com sacolas plásticas com um revólver, munição, uma faca, aparelhos de telefone celular e carregadores. Todo o material foi apreendido. A penitenciária de Alcaçuz é a maior do sistema prisional do Rio Grande do Norte.
Calamidade
O Governo do Rio Grande do Norte renovou por mais seis meses o decreto de calamidade no sistema prisional potiguar. A renovação, assinada pelo governador Robinson Faria, foi publicada na edição de quinta-feira (17) do Diário Oficial do Estado (DOE). O documento diz que a renovação tem por objetivo  "legitimar a adoção e execução de medidas emergenciais que se mostrarem necessárias ao restabelecimento do seu normal funcionamento".
Na semana passada, o secretário de Justiça e Cidadania (Sejuc), Cristiano Feitosa, admitiu que após um ano da decretação da calamidade, o sistema prisional potiguar "melhorou pouco".
Em entrevista ao G1, o secretário fez uma avaliação e disse que “o sistema prisional potiguar possui hoje uma equipe de diretores mais integrada e informações estão sendo trocadas com mais rapidez, mas nesse um ano, mais precisamente no último semestre, a Sejuc está investindo pesado em planejamento e em medidas que vão se concretizar nos próximos seis meses. Então, as mudanças de maior efetividade e repercussão ainda estão por vir”.
▲ Topo